Virada no Boteco – O Retorno!

Image O tão esperado fim de semana passou, a viagem aconteceu e amanhã começará um novo que não será tão alegre para mim. Isto porque irei trabalhar, será dia das mães e eu estou a 650 km da minha e a previsão do tempo não me anima muito. Não quero pensar nisso, prefiro relembrar o que passou!

A primeira vez sem a Virada Cultural não foi tão ruim assim, já que os relatos não foram muito animadores: decepção com os renomados “chefs” – 500 galinhadas para milhares de pessoas? – arrastão, overdose… mas também shows maravilhosos, não dá pra negar.

A primeira vez viajando de avião foi uma delícia!!! Consegui não pagar nenhum mico (uhuhu), fiz tudo conforme manda o figurino, como se eu fizesse aquilo sempre. A sensação de levantar voo, de tirar os pés do chão é maravilhosa!  Poderia viver o resto da minha vida no céu, sobre as nuvens… só aguçou ainda mais a minha vontade de saltar de paraquedas, parapente, asa delta e tudo que envolve as alturas.

Quanto a Belo Horizonte, não poderia ter melhor impressão! A primeira foi ao chegar ao aeroporto de Confins. Belo Horizonte-Confins deve ter pelo menos o dobro da distância entre São Paulo-Guarulhos e sabe quanto custa o transfer de lá? Quatro vezes menos que o daqui! Enquanto eu paguei lá apenas R$8,70 aqui pagaria R$35,00. Pois é, isto é São Paulo…

Não vou dizer que a cidade é 100% linda, afinal é uma cidade grande, capital de um grande estado, mas possui lugares fantásticos. Dizem que Belo Horizonte foi a primeira cidade planejada do Brasil com ruas cortadas por avenidas em diagonal, quarteirões de dimensões regulares e uma avenida em torno de seu perímetro –  a Avenida do Contorno. Hoje a cidade cresceu para muito além dos limites da Avenida do Contorno, mas é dentro deste limite que se encontram importantes atrativos como os museus ao redor da Praça da Liberdade e o Mercado Central.

ImageAdorei tudo que eu fiz por lá: as comprinhas no Mercado Central e na Feira Hippie, a caminhada pelo centro histórico, a inesperada visita guiada no Palácio da Liberdade (foto ao lado), os botecos e principalmente as pessoas! Ai que sotaque carregado que tem o povo de lá! Nenhum dos meus “trem” e “uai” se compraram com os de lá… Adorei ouvir aquilo e ver a receptividade das pessoas. Sou mineira sim, mas estava lá como uma turista paulistana. Fui exigente, mas deixei o estresse da correria por aqui, mesmo porque se não tivesse feito isso, teria surtado lá. Tá certo que era fim de semana, mas ficar 40 minutos no ponto de ônibus ou esperar por 20 minutos pelo próximo metrô é normal por lá. Não ouvi ninguém se queixando da demora e lógico que eu não iria me desgastar com isso, estava lá para curtir!

Adorei o passeio e rever pessoas mais que especiais! Não vi tudo e nem todo mundo que eu queria, mas é bom que ficou o gostinho de quero mais! A cidade que é conhecida como a “capital nacional do boteco”, por existirem mais bares per capita do que em qualquer outra grande cidade do Brasil não iria me decepcionar!

Luciana Carneiro

(Essa pessoa está pensando seriamente em abrir um boteco em BH!)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s