Novas experiências, outros ares

As noites de terça e quarta-feira foram, para mim, um tanto…. anormais, em alguns aspéctos. Antes de eu falar sobre tais noites, se faz necessário esclarecer que eu sempre fui uma pessoa acomodada no que diz respeito a cuidar da casa onde moro, e apesar de me incomodar com isso muitas vezes, não fazia nada para mudar isso, e a maior parte disso é sem dúvida culpa minha!
.
Moramos na mesma casa minha mãe Catarina, meu irmão Adriano e eu, além do Cabeção (gato branco que quando saia na rua SEMPRE chegava malhado de preto, cabeçudo e sem um pedaço do rabo), a Tigreza (gata gordinha, cinza malhada de branco como um tigre, mas manhosa feito um bebê), a Sofia (gata toda preta, atentada e mimada, além de ser a preferida da minha mãe) e a Sarah (gata siamêsa, mas provavelmente misturada com alguma outra coisa, pois tem os pelinhos soltos e fofos, não é vesga, e tem lindos olhos azuis, e tá na cara que é minha preferida! rs)
Esses quatro queridos entes da nossa família soltam uma quantidade ENORME de pêlos, e por esse motivo não entram nos quartos, e a casa teria que ser varrida todos os dias, porém, acomodado como sou, não ajudo muito a fazer isso.
.
Pois bem, às noites anormais. Começemos pelo meu quarto. Da porta, o cômodo quadrado se estende para frente e para a esquerda. tem um guarda-roupa bem na frente da porta, e outros cobrindo a extensão da parte à esquerda da porta e da lateral esquerda do quarto, com um móvel contendo a televisão do meu irmão, o XBox e outros apetrechos. Logo após o guarda-roupa na frente da porta tem a minha cama, um arquivo pequeno de 2 gavetas (com muitas tranqueiras), e a cama do meu irmão, e na parede do fundo tem uma janela. O caminho para circular pelo quarto foi, durante muito tempo, tomado por: edredons, caixas com panfletos de imóveis do meu irmão (que é corretor de imóveis, obviamente), meu malão de viagem onde eu jogo, literalmente, algumas roupas limpas e algumas usadas, mas é claro, um monte de cada lado do malão, vários tênis e sapatos, um ventilador, mais uma caixa com linha, varetas outras coisas das pipas do meu irmão, uma caixa com meu tabuleiro grande de xadrez todo trabalhado, atrás da porta tem uma bandeira grande do Corinthians (do corintiano roxo do meu irmão), meus 2 tacos de hockey. Ou seja, não havia caminho algum para circular.
.
As noites anormais começaram ali mesmo, no meu… “quarto”, por falta de uma definição melhor. Tinha tanta coisa inútil ali que eu nem acreditava quando fui encontrando. Abri meus guarda-roupas e separei tanta coisa velha, pelo menos uns 5 ou 6 pares de tênis que estavam embaixo da minha cama, muitas roupas grandes, pequenas ou velhas demais, embalagens de presentes que eu ganhava e guardava, alguns brinquedos de infância. Tudo, menos as embalagens de presente que foram para o lixo, vou levar para doação. Mas ainda tem, com certeza, várias inutilidades ocupando espaço. Separei as roupas para passar, mas não tive disposição, ainda, para passa-las. Coloquei a roupa suja para lavar, primeiro as roupas claras, depois as escuras, e lavei na mão minhas cuecas, depois que descobri que coloca-las na máquina de lavar vai “zuando” o elástico. Graças a minha imensa falta de prática, levei facilmente 1 horinha para terminar tudo com a roupa suja. E quando dei por mim já estava tarde demais para querer fazer qualquer outra coisa.
.
Na noite de quarta-feira, graças à uma grande inspiração, que não se faz necessário mencionar (sim, ficarão muito curiosos, pois foi a maior inspiração que já tive! Muahahaha!!), eu voltei cedo do trabalho e tratei de cuidar da casa toda.
.
Primeiro no meu “quarto” tirei o pó de todos os cantos alcançáveis, depois ajoelhei no chão e comecei a tirar algumas coisinhas debaixo de minha cama, porém fiquei tanto tempo fazendo isso que quando levantei parecia que minha coluna queria permanecer como estava, que tinha uma vontade diferente da minha! Feito isso, busquei uma vassoura e varri, e fiz ir junto com o pó 2 pares de tênis bem rasgados, meus tacos de hockey, correspondências velhas e esquecidas, e quase que vão R$ 10,00 junto! Sim, tive a felicidade de encontrar dinheiro lá embaixo da cama.
.
Depois tirei o pó da sala e cozinha, e varri tudo para dentro de um saco, e a quantidade de pelo que foi embora era muito, mas muito maior do que eu imaginava. Quando terminei essa parte eu sentia a casa leve, e até acendi um incenso para saborear!
.
Levei para o banheiro 2 baldes, vassoura, rodo, escova, sabão e Ajax, para lavar o banheiro, porém demorei tanto para tirar todo o pó e varrer a casa toda que não deu tempo de lavar o banheiro, que minha inspiração não permitiu que eu terminasse na quarta, e tive que adiar esses planos.
Fazer a faxina foi sensacionalmente bom! Cansei como não tinha cansado antes, de uma forma diferente, e tive uma grande satisfação ao olhar para o resultado. Agora eu to começando a ver de verdade a dificuldade de manter uma casa limpa.
.
Quando terminei parecia que havia varrido a alma… mas sei que essa parte ainda tem muito o que limpar, e vou cuidar direitinho dela, junto com a casa.
.
PS: Seguirei um conselho dado: escovar meus gatos para soltar menos pelos.Por que não me disseram isso antes…

4 thoughts on “Novas experiências, outros ares

  1. Lere..lere…lere…lere!!! kkkkk
    Hoje tive um dia exaustivo de trabalho , daqueles que vc não para um segundo, só agora que consegui ter um tempinho; me deparo com este texto do Sr. André Gaudencio!!! E imaginem como estou agora…. GARGALHANDO!!!! Caramba, André os seus textos tem poder de me fazer rir…e no caso rir muito!!!
    Ao invés de dar os parabéns pelo texto, como fiz da outra vez; vou dizer Obrigado…porque faz muito bem rir!!!! hahaha
    OBS: Tentei desenhar o seu quarto na minha imaginação, mas achei a sua explicação meio confusa….a única coisa que deu para imaginar direitinho foi a bangunça que estava o seu quarto!!!rsrs

    Um abraço André.

    • hahahahaha vlw Selminhaaa!! =D
      Que bom que gostou, e que se divertiu! Garanto que FAZER aquela faxina não foi mto divertido… hahahahhaha
      Como assim não visualizou o quarto?!?! Tá tão bem descrito… rsrrs
      bjooo

  2. Ah…André vê se escreve mais…
    Afinal a prática leva a perfeição!!!
    E acredito que está no caminho certo, pois os seus textos são sempre bem espontâneos e divertidos!!! Não são cansativos de ler, pelo contrário…rsrs
    Bom…fiz minha parte de incentivar (até porque pelo o que vi esse último texto foi postado em maio…).

    Bjinhos

    • rsrsrs obrigado pelo incentivo.. não vou postar sempre não, não conseguia arrumar o que escrever toda semana, e o blog ficava com vários “buracos” desse jeito, o que não é legal.. Vou postar uma vez ou outra mesmo! rsrs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s