O negócio é curtir

O ciclo da vida do ser humano que vive numa grande cidade (ou em pequenas, não importa) resume-se a nascer, ir à escola por mais ou menos 12 anos da existência (contando a pré-escola aos 6, primário até os 10, ginásio até os 14 e o terceiro ano do colegial aos 17 anos); em seguida, escolher uma profissão e meter-se em uma universidade por 4 ou 5 anos, e nesse meio tempo entre o fim do colégio e início da universidade encontrar um emprego que possa custear os estudos. E então vem aquisição de um carro, um apartamento, um namoro que virará casamento e filhos e mais e mais e mais despesas.

Eu disse “colegial”, “ginásio”? Bom, nos anos 80 era essa a nomenclatura. Hoje, mudaram-na para ensino fundamental e ensino médio. Entretanto, na prática é a mesma coisa: mudam-se os tempos, mudam-se os nomes e o ciclo de vida continua o mesmo.

Nos anos 80 vivemos uma época bem agitada: Guerra Fria, multinacionais chegando ao Brasil, um boom de cursos de inglês aparecendo por influência norte-americana devido às relações econômicas, inglês assa a ser a língua dos negócios, fazer uma faculdade no Brasil era um diferencial enorme e garantiria um emprego bom (segundo os pais dos filhos daquela época), em seguida os cursos de computação passam a substituir os de datilografia.

Porém, aos 18 anos, era raro alguém ter maturidade pra decidir o que iria fazer a vida inteira profissionalmente naquele tempo e até hoje ainda é. Especialmente depois que a escola terminasse, a turma se separaria e um futuro misterioso e assustador estava por vir.  Grande parte disso vinha e até hoje vem, dos pais bitolados. No tempo deles a vida era sim: estudos = futuro garantido. Hoje, sabemos que nem sempre é assim.

Certo estava Ferris Bueller (Mathew Broderick) no filme Curtindo a Vida Adoidado. Levar a vida a sério de mais em nome de um futuro incerto, não é bom. O futuro está aí e é inevitável fugir dele. Mas, nada impede que deixemos a vida mais leve fazendo coisas simples que nos deixam bem. Fazer uma faculdade, arrumar um bom emprego, construir uma família, etc… Todas essas coisas podem ser concretizadas perfeitamente mesmo que não levemos a vida tão a sério a ponto de nos privarmos de momentos relaxantes. Certo estava Ferris Bueller nos anos 80 que diz:

Life moves pretty fast; and if you don’t stop and look around once in a while, you’re gonna miss it.”

(A vida passa muito depressa e se você não para e olha à sua volta de vez em quando, você vai perder tudo isso)

One thought on “O negócio é curtir

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s