Traga-me os pulmões e fígado de Branca de neve como prova e… mioooooooolos!!!!

“Brain!!!”, ou em outras palavras “miolos!” era o grito de guerra dos zumbis em muitos filmes de horror. E lá se iam um turbilhão de zumbis atrás do precioso órgão. Em se tratando de zumbis e sua sede por cérebros, não posso falar muita coisa. Não sei a explicação por essa sede de cérebro. Apenas sei que ao comer cérebros eles saciavam uma grande fome e, como no filme, A volta dos mortos vivos (The return of the living dead), de 1985, de acordo com o relato de um zumbi a explicação para comer miolos seria que “isso afugenta a dor!”

Aqui, pode-se ver no trecho em 1:03 do filme completo dublado em português:

Se por um lado a fome de cérebros pelos zumbis parece não ter uma relação lógica e coerente; por outro lado há certa coerência em um suposto desejo de degustar alguns órgãos humanos descritos em alguns contos de fadas.

No conto A pequena sereia, compilado por Hans Christian Andersen a pequena Sereia faz um trato com a Bruxa do mar. E neste macabro acordo a imposição da bruxa era a seguinte: “Você possui a voz mais fina de todos aqui no fundo das águas; que pode decerto encantá-lo [ao príncipe]. Mas, essa voz você tem que me dar.  (..) coloque a linguinha para fora, então vou cortá-la para meu pagamento no trato”. (ANDERSEN, 2009) E assim é feito.

Outro episódio de mutilação, que Walt Disney alterou em sua versão, ocorre no conto da Branca de neve. No longa-metragem da Disney, a rainha ordena que o caçador simplesmente mate Branca de Neve. Já na versão compilada pelos irmãos Grimm a coisa é bem diferente. Em sua doentia obsessão pela beleza e desejo de destruir Branca de Neve, a rainha má ordena ao caçador o fim trágico da heroína através das seguintes palavras:  “leve a criança para a floresta, não quero vê-la mais diante de meus olhos. Você deve matá-la e trazer para mim seus pulmões e fígado como prova [de sua morte].

Eis o texto original:  “Bring das Kind hinaus in den Wald, ich will’s nicht mehr vor meinen Augen sehen. Du sollst es töten und mir Lunge und Leber zum Wahrzeichen mitbringen.” Este texto pode ser lido na página:

g-schneewittchen.htm

Nesses contos de fadas, esses rituais ligados ao ato de canibalismo são motivados pelo desejo do algoz de subtrair de suas vítimas algum dom ou característica delas.  A voz da Pequena Sereia e a beleza de Branca de Neve são ambas motivadas por tal atrocidade. A ingestão desses órgãos em questão daria à Bruxa do Mar e à Rainha má a herança dessas características tão almejadas por elas.

Os índios Tupinambás realizavam rituais de canibalismo, pois, acreditavam que ao ingerir partes do corpo de guerreiros inimigos, herdariam suas habilidades, coragem e força. Vejamos que Europa de um lado e América de outro possuem em algum momento de sua evolução a mesma ideia de prática ritualística: o canibalismo como forma de obtenção de força e poder.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s